VOZ DOS QUE SOFREM

Jovem Refugiado - JMM
00:00 / 00:00

Eu sou Joaquim, tenho 22 anos e sou cristão. Eu vim parar num campo de refugiados no Oriente Médio depois que a minha cidade foi praticamente destruída por conflitos armados. Lá eu trabalhava, estudava e gostava de ajudar outras pessoas. Eu era muçulmano e aceitei seguir a Cristo depois que um grupo de missionários brasileiros falou para mim sobre o Filho de Deus. Meus pais não ficaram muito felizes com minha decisão, mas aos poucos estavam se habituando, vendo minha mudança de comportamento.

 

Hoje, infelizmente, não sei onde estão meus pais. Talvez tenham sido mortos durante o conflito. Mas eu continuo confiando em Deus que irei encontrá-los. Quem sabe estejam aqui neste campo de refugiados, junto a estas milhares de pessoas? Eu tenho esperança de reencontrar meus pais.

 

Enquanto isso, sigo aqui ajudando. Não tenho muito a oferecer. Deixei todos os meus bens para trás e tenho trabalhado duro para me sustentar. Mas o pouco que tenho, gosto de compartilhar. O nosso Senhor ensinou que devemos amar. E eu estou neste campo de refugiados para obedecer ao mandamento Dele de amar o meu próximo. Apesar de estar faminto, eu não posso fechar os olhos para quem está ao meu lado, na mesma situação, mesmo esta pessoa sendo de outra religião.

 

Quem sabe Deus não tenha me colocado neste campo de refugiados para demonstrar o amor Dele por esta gente? É a minha chance de testemunhar sobre Cristo. Talvez agora eu só tenha a eles como amigos. Quando a noite cai, eu me recolho na minha tenda e observo tudo o que tenho: uma lamparina, um colchonete e um cobertor. E agradeço a Deus porque são doações de pessoas que se comoveram com minha situação. Então penso: por que não repartir o que tenho recebido com aqueles que têm menos do que eu?

 

A alegria do Senhor tem sido a minha força. É Ele quem me faz levantar todos os dias com a esperança de que um dia estarei numa situação mais confortável. Espero em Deus!