A história de Salma

Foi uns dos primeiros frutos do trabalho desenvolvido pelo projeto Esperança aos Refugiados. Salma vivia na fronteira entre dois países aqui da região, quando teve início a guerra civil na Síria.  Um grupo terrorista de um dos países se aproveitou do momento vulnerável da Síria e começou a atacar as cidades próximas da fronteira. A família de Salma fugiu de uma das mais importantes cidades da Síria para se salvar, tanto dos ataques do exército do governo como também dos ataques do tal grupo terrorista, os quais matavam até mesmo crianças.

Salma se emociona ao dizer que Deus permitiu que tudo isto acontecesse para que ela pudesse chegar até aqui e conhecer que Jesus é o salvador de sua vida. Em suas palavras: “Esta situação difícil em que vivemos, dependendo da ajuda e bondade de outros, não tendo uma casa e nem um lugar para chamar de meu, pode até não mudar, mas ainda assim eu me alegro, pois sei que tudo isto não tem valor ao se comparar com a vida eterna que eu tenho agora e com o lugar maravilhoso que Deus tem preparado para mim.”

Salma começou em sua própria casa um grupo de estudo do nosso livro semanalmente. Participam deste estudo seis mulheres. Destas, cinco vivem no maior campo de refugiados sírios do mundo. Tudo o que elas aprendem com a Salma, elas levam para o campo e ensinam a outras mulheres. A sexta mulher é uma policial local. Todas elas são frutos de Salma. Durante a semana ela recebe estudos de um de nós da equipe, e o que ela aprende, tem passado para aquelas mulheres. Podemos dizer que a igreja na casa da Salma tem crescido já nos moldes da Igreja Sofredora do Oriente Médio.

Coordenadores do projeto Esperança aos Refugiados

Oriente Médio